Quantidade de Páginas visitadas

COLÉGIO ESTADUAL 
CAETANO MUNHOZ DA ROCHA
ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROPOSTA CURRICULAR

Disciplina de Língua Portuguesa


ENSINO MÉDIO

- Língua Portuguesa

I. Apresentação Geral da Disciplina:

O ensino perpassa pelas três práticas: oralidade, escrita e leitura e, só dessa forma, consegue abranger todo o dinâmico sistema de linguagem uma vez que não opera somente com fatos estanques da língua, mas se utiliza das reflexões que os alunos já fazem como falantes para sistematizar e compreender outras operações. Na análise lingüística o aluno não é mero ouvinte, sua participação é fundamental no processo de aprendizagem.
A ação pedagógica precisa pautar-se na interlocução, em atividades planejadas que possibilitem ao aluno não só a leitura e a expressão oral ou escrita, mas, também, refletir sobre o uso que faz da linguagem nos diferentes contextos e situações.
A disciplina de Língua Portuguesa/Literatura possibilita aos alunos a expansão do uso das linguagens verbais e não verbais através do contato direto com textos dos mais variados gêneros,engendrados pelas necessidades humanas. É necessário que a inclusão da diversidade textual promova a relação entre os gêneros com as atividades sociais em que eles se constituem. 
Deve-se criar oportunidades para o aluno refletir, construir, levantar hipóteses, a partir da leitura e da escrita de diferentes textos, desenvolvendo a capacidade de compreender como a língua funciona e à decorrente competência textual.
A prática de análise lingüística constitui-se num trabalho de reflexão sobre a organização do texto escrito, um trabalho no qual o aluno perceba o texto como resultado de opções temáticas e estruturais feitas pelo autor, tendo em vista o seu interlocutor. Sob essa ótica, o texto deixa de ser um pretexto para se estudar a nomenclatura gramatical e a sua construção passa a ser o objeto de ensino. Com isso, o trabalho com a gramática passa a ser visto sob outra perspectiva : não são os exercícios tradicionais de gramática, como reconhecer substantivos, adjetivos, aumentativos, lista de conjugações, que interessam; mas a compreensão do aluno sobre o que é um bom texto, como é organizado, como os elementos gramaticais, na sua função real no interior do texto, ligam palavras, frases, parágrafos, retomando ou avançando idéias defendidas pelo autor.


II. Objetivos Gerais:

           Assumindo-se a concepção de língua com discurso que se efetiva nas diferentes práticas sociais, os objetivos a seguir fundamentarão o processo de ensino:
Desenvolver o uso da língua escrita em situações discursivas realizadas por meio de práticas sociais, considerando-se os interlocutores, os seus objetivos, o assunto tratado, os gêneros e suportes textuais e o contexto de produção/leitura.
Refletir sobre os textos produzidos, lidos ou ouvidos, atualizando o gênero e tipo de texto, assim como os elementos gramaticais empregados na sua organização.
Aprimorar, pelo contato com os textos literários, a capacidade de pensamento crítico e a sensibilidade estética dos alunos, propiciando através da Literatura, a constituição de um espaço dialógico que permita a expansão lúdica do trabalho com as práticas da oralidade, da leitura e da escrita.
Conscientizar-se de que todo falante nativo de uma língua é um usuário competente.
Aceitar a idéia de que não existe erro de português; existem diferenças de uso ou alternativas de uso em relação à regra única proposta pela gramática normativa. ( não confundir erro de português com simples erro de ortografia )
Reconhecer que tudo o que a gramática tradicional chama de erro é na verdade um fenômeno que tem explicação científica perfeitamente demonstrável.
Respeitar a variedade lingüística de toda e qualquer pessoa, pois isso equivale a respeitar a integridade física espiritual dessa pessoa como ser humano. 
Despertar o pensamento crítico e a sensibilidade dos alunos através da intertextualidade, interdisciplinaridade e da transversalidade.
Leitura crítica de maneira a contribuir tanto na constituição da identidade dos sujeitos, quanto com a sua formação para o efetivo exercício da cidadania.


III. Conteúdos:

● Análise Lingüística

A língua não é homogênea, Ela se constitui de um conjunto de variedades determinadas pela situação geográfica, histórica e social. Embora diferentes, todas as variedades prestigiadas socialmente, ou não, têm organização estrutural e respondem às necessidades lingüísticas de seus falantes. Assim, as diversas variedades não podem ser vistas como distorções ou erradas em relação à norma padrão, sob pena de menosprezar a cultura e a história do povo. Não há formas melhores, nem piores, são formas diferentes. Há uma forma padronizada de maior prestígio que as demais e que os alunos precisam ter acesso para conhecer e produzir bons textos em linguagem padrão.
Conotação e Denotação .
Figuras de pensamento e linguagem.
Operadores argumentativos e os efeitos de sentido.
Expressões moralizadoras ( que arre velam a posição do falante em relação ao que diz, como: felizmente, comovedoramente).
Semântica .
Discurso direto, indireto e indireto livre na manifestação das vozes que falam no texto.
Expressividade dos substantivos e sua função referencial no texto.
Progresso referencial no texto.
Função do adjetivo, advérbio, pronome, artigo e de outras categorias como elementos do texto.
Função das conjunções e preposições na conexão das partes do texto.
Coordenação e subordinação nas orações do texto.
A pontuação e seus efeitos de sentido no texto.
Recursos gráficos: aspas, travessão, negrito, hífen, itálico.
Acentuação gráfica .
Gírias, neologismos, estrangeirismos,
Procedimentos de concordância verbal e nominal.
Particularidades de grafia de algumas palavras.


● Gêneros textuais ou discursivos

Elementos da construção dos diferentes gêneros discursivos e tipos de textos (informativo, instrucional, poético, narrativo, carta, bilhete, sinopse, etc.
Análise do discurso: linguagem, aspecto formal, finalidade, estilo, posição do autor, ideologia, contexto histórico, social, econômico, político, entre outros. 
Elementos coesivos e coerência textual: unidade temática, elementos lógico-discursivos, tese, organização dos parágrafos, contexto discursivo, interlocutor, idéia central, seqüência lógica, progressão, retomada dos elementos coesivos, título como elemento coesivo entre outros.
Discurso direto e indireto.
Recursos visuais, sonoros, olfativos, gráficos, etc.
Relações referenciais: elipse, repetição, sinais de pontuação.
Aspectos formais do texto: acentuação, pontuação, ortografia, paragrafação, título, legibilidade, aceitabilidade, entre outros.
Ambigüidade como recurso de construção do texto.
Ambigüidade como problema de construção do texto.
Informações explícitas e intertextualidade.
Relações entre imagem e texto.
Textos dramáticos, romances, conto, poema, fábulas, diários, biografia, debate regrado, reportagem, entrevista, anúncio, carta, resumo, resenha, seminário, pesquisa, lendas, mitos, piadas, histórias de humor, tiras, cartum, charge, propagandas, provérbios, e outros...


● Elementos gramaticais na construção do texto

Pontuação e seus efeitos de sentido na construção do texto: vírgula, ponto-e vírgula, ponto final, ponto de interrogação, exclamação, dois pontos, aspas, parente, aspas, parênteses, travessão, reticências, entre outros. 
Emprego da crase na construção do texto. 
Classes de palavras: substantivo, adjetivo, verbo, preposição, conjunção, artigo, numeral, pronome, advérbio e interjeição na construção do texto.
Sujeito e predicado na construção do texto.
Vozes do verbo na construção do texto.
Adjunto adnominal e complemento adnominal na construção do texto.
Aposto e Vocativo na construção do texto.
Orações coordenadas, subordinadas, reduzidas e intercaladas na construção do texto.
Concordância verbal e nominal na construção do texto.
Colocação pronominal na construção do texto.
Figuras de linguagem na construção do texto.
Formação de palavras: prefixo, sufixo, radical, derivação e composição.


● Conteúdos de Literatura:

Arte literária e as outras artes.
História e literatura.
Os gêneros literários e os elementos/recursos que os compõem.
Periodização e estilos de época da literatura brasileira: O Quinhentismo brasileiro ( literatura de informação ), Barroco, Arcadismo, Romantismo, Realismo e naturalismo, Parnasianismo, Simbolismo, Vanguarda européias, Pré-Modernismo, Modernismo, Pós-Modernismo e Literatura Africana.
Os períodos literários e a relação com o período histórico, as artes e o cotidiano.


● Oralidade

As possibilidades de trabalho com a oralidade são muito ricas e nos apontam diferentes caminhos.
Relatos de histórias diversas, entrevistas, notícias de jornais, revistas, telejornais, textos lidos, troca de opiniões, seminários, declamações de poemas etc.
Debate sobre assuntos lidos e / ou ouvidos, seminários, troca de opiniões, entrevistas, transmissão de informações, declamações de poemas, relatos de experiências etc.
Observação da clareza e da objetividade, procurando convencer o outro pela argumentação, com vocabulário adequado no uso de textos em debates, troca de opiniões, transmissão de informações, seminários, entrevistas, discursos etc.
- Adequação ao gênero:
Conteúdo temático.
Elementos composicionais.
Marcas lingüísticas.
- Variedades lingüísticas. 
- Intencionalidade do texto.
- Papel do locutor e do interlocutor:
Participação e cooperação.
Turnos de fala.
- Particularidades de pronúncia de algumas palavras.
- Procedimentos e marcas lingüísticas típicas da conversação (entonação, repetições, pausas...).
- Finalidade do texto oral.
- Materialidade fônica dos textos poéticos.

● Leitura

A capacidade de ler criticamente garante ao indivíduo condições de interferir no meio em que está inserido, podendo, inclusive, transformar a realidade.
O trabalho pedagógico realizado com a literatura deve valorizar a experiência real de leitura, de interação do estudante com o texto literário vinculado com sua realidade.
O verdadeiro ato de ler é um processo de atribuição de sentido ao texto, isto é, a partir de conhecimentos que já possui, o leitor interage com o texto, construindo um significado.
Leitura de textos verbais: informativos e ficcionais e de outras linguagens: gesto, pintura, fotografia,etc.
Texto da ordem da correspondência.
Texto argumentativo
Texto instrucionais ou prescritivo
Leitura de histórias em quadrinhos, reportagens retiradas de revistas e /ou jornais, cartazes elaborados pelos alunos, receitas,etc
Identificação das idéias básicas de um texto, percebendo a unidade temática e o uso dos recursos coesivos.
Leitura contrativa a nível ideológico e estrutural de vários textos sobre o mesmo tema em registros e épocas diferentes.
Observação das formas de registros ( informativo, ficcional ou poético ).
Análise da argumentação apresentada pelo autor.
Leitura de obras literárias específicas de cada período literário.
Interpretação textual, observando:
- conteúdo temático
- interlocutores
- fonte 
- intencionalidade
- ideologia
- informatividade
- situacionalidade
- marcas lingüísticas
Identificação do argumento principal e dos argumentos secundários.
Inferências
As particularidades (lexicais, sintáticas e composicionais) do texto em registro formal e informal
As vozes sociais presentes no texto
Relações dialógicas entre textos
Textos verbais, não-verbais, midiáticos, etc.
Estética do texto literário.
Contexto de produção da obra literária
Diálogo da literatura com outras áreas


● Escrita

A ação coma língua escrita deve valorizar a experiência lingüística do estudante em situações específicas, e não a língua ideal.
O exercício da escrita, da produção textual, deve levar em conta a relação pragmática entre o uso e o aprendizado da língua, percebendo o texto como elo de interação social e os gêneros como construções coletivas.         
O que se sugere, sobretudo, é a noção de uma escrita formadora de subjetividades.
Textos poéticos.
Narração.
Descrição.
Texto informativo : notícia e reportagem.
Entrevista.
Retextualização : filme, música, noticiário,etc.
Resumos.
Interpretação e compreensão de textos diversos.
Argumentação.
Texto publicitário.
Adequação ao gênero:
- conteúdo temático.
- elementos composicionais.
- marcas lingüísticas.
Coesão e coerência textual.
Finalidade do texto.
Paragrafação.
Paráfrase de textos.
Diálogos textuais.
Refacção textual.

IV. Metodologia:

Com estes encaminhamentos não se pretende abancar todo o trabalho a ser desenvolvido na escola a respeito da oralidade, de escrita, da leitura e da análise lingüística.
Não seria coerente, pois, esta proposta, fragmentar em língua conteúdos estanques e abstratamente, determinar o que se ensinar em cada série.
Metodologicamente, é importante trazer para a sala de aula todo tipo de texto literário, informativo, publicitário, dissertativo – colocar estas linguagens em confronto, não apenas as suas formas particulares ou composicionais, mas o próprio conteúdo veiculado nelas. É importante, também, ter claro que todos os textos estão marcados ideologicamente e papel do professor é explicitar, desmascarar tais marcas e apresentá-los ao aluno, desmontando o funcionamento ideológico dos vários tipos de discursos, sensibilizando o aluno à força ilocutória presente em cada texto.

VI. Avaliação:

A avaliação deverá ser contínua e priorizar a qualidade e o processo de aprendizagem, ou seja, o desempenho do aluno ao longo do ano letivo e o para que o professor possa não só verificar o rendimento de seus alunos mas também refletir sobre a sua prática pedagógica.
A avaliação formativa considera que os alunos possuem ritmos e processos de aprendizagem diferentes e, por se contínua e diagnóstica, aponta dificuldades, possibilitando assim que a intervenção pedagógica aconteça a todo o tempo.
A avaliação precisa incluir, além de testes, provas e pesquisas, a observação. É através da observação que o professor pode avaliar a participação, o interes-se e o desempenho de seus alunos.
As avaliações serão efetivadas através de trabalhos e pesquisas individuais e em grupo, debates, textos individuais, participação, assiduidade, avaliação diagnóstica, qualitativa, formativa, contínua e cumulativa.
















Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito